/
/
EPATV: finalistas de Restauração exibem saber e sabores ecológicos

EPATV: finalistas de Restauração exibem saber e sabores ecológicos

O requinte das cores e a delícia dos sabores, aliados a uma restauração ecológica e sustentável, traduziram a arte, conhecimentos e o engenho dos finalistas da EPATV — Escola Profissional Amar Terra Verde — que realizaram, nos dias 21 e 22 de julho, as Provas de Aptidão Profissional (PAP) de Restaurante/Bar e de Cozinha/Pastelaria.

O evento celebrou-se com um almoço luxuoso preparado por jovens finalistas competentes e inovadores que colocam o ambiente e o planeta como foco das suas receitas.

Esta foi a última e eloquente jornada da maratona de PAPs que encerra este ano letivo, deixando os professores gratos pelo empenho e criatividade demonstrados pelos seus 28 finalistas, uma vez que todos os finalistas têm emprego garantido ou prosseguem os estudos superiores.

Os jovens finalistas corresponderam às expetativas dos professores Olga Martins, António Igreja, Rodolfo Melendrez Rodriguez, Américo Silva, Nuno Silva e Miguel Lopes.

A jornada dividiu-se em duas partes, apreciadas por um júri constituído por Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica da EPATV), representantes da Escola de Hotelaria e Turismo de Viana (Felício Dantas e José Miguel Pinto), da Associação de Hotelaria de Portugal (Camilo Sousa) Turismo Porto e Norte de Portugal (Agostinho Peixoto), Hotel Meliã (Delfim Filho), Hotel Porta Nova Collection House (José Santos), Feel Travel Minho (Rafael Oliveira), além das docentes Daniela Matos, Carla Veloso e Silvia Sá.

Na primeira parte – dedicada ao Curso Técnico de Restaurante/Bar, as provas apresentadas pelos 15 finalistas de Restaurante/Bar, as receitas têm a marca de água de produtos biológicos, sustentáveis, reaproveitáveis e reutilizáveis, com aromas e sabores das plantas aromáticas colhidas do Jardim de Aromáticas da Escola – desenvolvido no âmbito do programa Eco-Escolas.

A PAP é constituída por um relatório escrito e pela confeção e apresentação de uma receita própria e original.

A dupla Raquel Gonçalves e Vânia Fernandes apresentaram as novas tendências do serviço de chá, através de quatro sangrias com sabores diversos de chás e vários aperitivos.

Por sua vez, Daniela Silva, Jéssica Cunha e Silva e Raquel Alves sugeriram um modelo de Eco Hotel, através de seis canapés com acepipes variados.

Carlos Manuel Silva e Nuno Alexandre Soares, após visitas Quintas do Douro, refletiram sobre o impacto ambiental na produção de aguardentes e apresentaram um Gin da Quinta de Ventozelo com ervas aromáticas. Um cocktail de café, com aguardente velha e licor de cereja foi a proposta de Diana Fernandes e Henrique Campos numa prova sobre o café e o ambiente. Um bar mais verde foi a escolha de Margarida Azevedo e de Gonçalo Pereira, utilizando materiais ecológicos e ingredientes como a melancia e o pepino, entre outros frutos, enquanto a prova sobre uma Cerveja sustentável — a Letra misturada com Ginger Beer e um aperitivo com Vodka — foi a proposta de Diana Fernandes e de Tânia Fortunas.

Na segunda parte do evento, no almoço servido com mestria aos membros do júri, Andreia Silva mostrou uma das sobremesas do mundo, Tiago Carvalho e Cláudio Gonçalves confecionaram pão para as quatro estações, enquanto Pedro Mendes se aplicou numa receita da Cozinha Tradicional Portuguesa. A doçaria tradicional portuguesa, com o Pudim Abade de Priscos, foi o tema escolhido por Daniela Fernandes e Fábio Oliveira, ao passo que Hugo Pinto escolheu os melhores vinhos a usar na cozinha. Hugo Silva e Rafaela Rodrigues tiveram os quatro elementos da natureza como marca da sua prova. Os ovos foram eleitos por Fábio Cerqueira para mostrar o que sabe e Juliana Correia colocou as ervas aromáticas e especiarias no centro da sua prova de cozinha.

A utilização dos molhos na culinária foi a opção de Ana Filipa Fernandes e de Pedro Pinheiro, os cogumelos foram os eleitos de Daniel Peixoto enquanto João Paulo Duarte deliciou o júri com as carnes.
Em resultado das provas destes alunos, o almoço abriu com Guioza de legumes, risotto de cogumelos, seguiu com bacalhau em ervas aromáticas, tornedó em três molhos, encorpou-se com açorda de perdiz, peito de pato na horta, coelho à caçador e pica no chão.

Para adoçar os estômagos, seguiu-se um doce de ovo, um vulcão de frutos vermelhos, uma floresta negra, um tecolameco e um Pudim Abade de Priscos. E para acompanhar esta girândola de sabores, foram servidos vinhos rosé de Pias do Couto, um branco Holminhos do Douro, um tinto Florão alentejano e, finalmente, um Moscatel do Douro.

Últimas Atualizações