/
/
EPATV: André Sobral e Andreia Costa vencem meias finais do MYCA 2020

EPATV: André Sobral e Andreia Costa vencem meias finais do MYCA 2020

Chegou ao fim a primeira etapa do MYCA – Minho Young Chef Awards 2020 – com uma dupla vitória da EPATV (Escola Profissional Amar Terra Verde) nas categorias (Cozinha e Bar) a concurso.
Durante 48 horas, oito escolas minhotas mostraram o seu talento para disputar um lugar na final que elege o melhor da Cozinha e Sala Minhota.
Pela primeira vez, o concurso apresentou a prova de Sala e Bar para valorizar as profissões de restauração e hotelaria.
Trata-se de um concurso aberto aos participantes das escolas da Comunidade Intermunicipal do Ave, da CIM Alto Minho e da CIM Cávado, anfitriã do evento este ano, para continuar a “inspirar a nova geração de chefes pela herança gastronómica do Minho” que vão encontrar-se na final do MYCA, em dezembro.

Nesta semifinal do MYCA, nas instalações da Associação Comercial de Braga, 18 jovens de cozinha confecionaram uma receita que tinha o bacalhau como ingrediente principal.
“Com muito empenho, dedicação e humildade” — destaca ao prof. Rodolfo Meléndrez Rodriguez — que o André Sobral e a Andreia Costa, ambos a frequentar o 3.º ano, “conseguiram os respetivos primeiros lugares nas semifinais de cozinha e restaurante e bar do Minho Young Chef Awards 2020”.
Daqui a uns dias vão “concorrer nas finais para representar a região do Minho nos European Young Chef Awards. Muitos parabéns aos dois e muito animo e força para as vossas finais” — conclui o professor da EPATV que deseja “a melhor da sorte aos dois e que consigam demonstrar tudo aquilo que bem sabem fazer e que tem aprendido durante o seu percurso de formação”.

O André e a Andreia foram os grandes embaixadores da “qualidade de ensino e formação profissional ao longo de dois dias (20 e 21 de novembro) intensos de provas, entrevistas, confeções, avaliações e competição do MYCA – Minho Young Chef Awards 2020”.
Nos dias que vivemos, é uma prova de enorme dedicação a “um setor tão importante como a gastronomia, a restauração, a hotelaria. Foram dias intensos de trabalho mas que nos dão um prazer enorme de fazer. É um orgulho fazer parte de um projeto como o MYCA – Minho Young Chef Awards que nos mostra o talento dos futuros chefes da gastronomia minhota. Obrigado a todos os participantes das escolas das sub-regiões Comunidade Intermunicipal do Ave, Alto Minho e Cávado” – conclui o Chefe Rodolfo Meléndrez Rodriguez, que esteve também acompanhado pelos professores Olga Martins e António Igreja.

Em representação da entidade organizadora, o consórcio MinhoIN – que junta as comunidades intermunicipais do Cávado, Ave e Alto Minho Minho – Joana Peixoto afirma que “em contexto de pandemia , o MYCA ganha outra expressão porque as escolas enfrentam dificuldades mesmo para proporcionar aulas práticas aos formandos e esta ação faz todo o sentido”.

A edição deste ano do concurso europeu esteve prevista para Portugal, nomeadamente para Viana do Castelo, mas ficou adiada para o próximo ano.
Para o chef António Loureiro, que presidiu ao júri do MYCA, “faz todo o sentido, principalmente face à situação pandémica mundial complicada, manter este tipo de competição, não só para manter os jovens ativos e a competir, mas também lhes dá alento”. “Quer vençam ou não saem daqui com alguma experiência e que melhorará, sem dúvida, o curriculum deles” sublinha o chef de cozinha, sublinhando a importância da formação como “o ponto de partida para qualquer atividade”.

O presidente da Associação Comercial de Braga (ACB), Domingos Macedo Barbosa, sabe que “temos cada vez mais que formar as pessoas para poderem prestar um bom serviço ao turismo e a toda a população”, apontando ao sector da restauração.
“Cada vez mais o cliente vem e quer ver o que há de diferente e a melhor diferença é a qualidade do produto e do serviço prestado” realça o dirigente empresarial reconhecendo o valor do MYCA na “valorização das pessoas, do sector e dos próprios territórios”.

Últimas Atualizações