/
/
Alunos de TEAC: arrojados, competentes e divertidos

Alunos de TEAC: arrojados, competentes e divertidos

Com provas arrojadas e competentes, decorreu hoje, dia 22 de julho, as Provas de Aptidão Profissional dos alunos do curso Técnico de Eletrónica, Automação e Computadores (TEAC).
Três finalistas seguem para estudos superiores, no IPCA (Instituto Politécnico de Cávado e Ave) e os restantes já têm emprego garantido em empresas que vão desde Celorico de Basto a Amares, Braga e Vila Verde.
O Prof. José Dantas era um homem feliz com os seus onze “meninos” porque as Provas “ultrapassaram as nossas expectativas, com um sucesso total que inclui alguns projetos arrojados e porque todos sabem bem o que querem pra a o dia de amanhã, em progressão. Uns vão continuar estudos superiores no IPCA e os restantes ingressaram todos no mercado de trabalho, havendo alguns que têm opção de escolha face à oferta que tiveram”.
Num ambiente de tamanha alegria final — com os brindes aos professores — quisemos ouvir o aluno Gonçalo Azevedo, para quem “estes três anos tiveram fases boas mas também outras complicadas. Crescemos da nossa adolescência inconformada e indisciplinada para adultos solidários com os nossos colegas atentos às dificuldades de uns e educados para a ética no trabalho. Hoje, após esta manhã de PAP’s podemos, todos, dizer que correu muito bem, para o meu grupo e para os meus colegas. Fechamos este ciclo com sucesso e fomos surpreendidos com as nossas capacidades, sempre apoiadas pelos nossos professores. Gostamos tanto deles que não quisemos deixá-los sem umas prendas simpáticas a mostrar que os conhecemos bem e gostamos do que eles fizeram por nós todos”.
Natural e residente em Esqueiros, Vila Verde, Gonçalo vai continuar a estudar para aprofundar “o conhecimento e será mais fácil ter um emprego melhor e por isso queria seguir Engenharia Eletrotécnica e Computadores ou um CTEsP da mesma área.
Marcelo Costa – um dos membros do júri e antigo aluno da EPATV – teve uma “sensação ótima de rever antigos professores e fiquei satisfeito com os projetos realizados”. Este gestor da Smartboard, empresa situada no Parque Industrial das Sete Fontes, em Braga, destacou o facto dos projetos “idealizados terem sido executados, com ferramentas de várias disciplinas, desde a serralharia, a computação, a metalomecânica e a eletrónica, sempre com base nos esquipamentos que a EPATV disponibiliza aos seus alunos que demonstraram muito empenho e competência”.
Esta empresa contratou um dos finalistas este ano, mas já o fizera em anos anteriores, além de proporcionar vários estágios aos alunos da EPATV.

Já coleciona várias PAP’s nas áreas técnicas e é uma das melhores testemunhas do trabalho de aprendizagem que é feito na EPATV – Paulo Amorim, do SITE-Norte (Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Norte) – refere: “A maioria dos formandos da EPATV tem emprego garantido e uma minoria interessante segue para estudos superiores. Que melhor prova querem do ensino da EPATV?”
Quanto ao Ensino Profissional, Paulo Amorim não tem dúvidas:” “vale a pena e dá gosto apostar em seguir um Curso Profissional porque faz todo o sentido, após o que aqui aprendem fazendo”.
O Dirigente do SITE-Norte está convencido, face ao que viu, durante vários dias na EPATV, que o ensino profissional é uma porta escancarada para a empregabilidade e quem disser o contrário só pode ser por desatenção ou ignorância do que se faz nesta Escola Profissional Amar Terra Verde, cujos estágios proporcionados aos seus alunos fazem com que os seus finalistas levem um avanço claro face aos outros jovens”.
As PAP’s foram apresentadas perante um júri constituído por Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica e Presidente), José Dantas (Diretor de Curso), Carla Veloso (Diretora de Turma), Aurélio Machado (Professor Acompanhante), Carlos Marinho (Professor Acompanhante), Marcelo Costa (Empresa SMARTBOARD) e Paulo Amorim (Representante do Sindicato – SITE Norte).
Diogo Pereira, Luís Correia e Marco Correia iniciaram a manhã com a construção de um relógio digital (Creative Clock) onde demonstraram os seus conhecimentos com circuitos integrados, esquemas elétricos e pode bem ser um protótipo para um Kit didáticos. Um deles preferia “estudar mas a vida — especialmente a sua … — não está fácil” em Celorico de Basto, mas vão todos trabalhar e já têm emprego garantido.
O Diretor de Curso aconselhou-os a aproveitar a oportunidade até porque os “dias vão continuar a ter só 24 horas”, alertando-os para o cumprimento dos prazos e “não deixarem para a última hora as suas ações ou decisões”.
Bruno Gomes, Hugo Lomba e Paulo Barros surpreenderam os jurados com um cartão digital que permite abrir e fechar cacifos nas escolas ou nas empresas, construídos em meta e com todos os sistemas informáticos necessários.
Uma Smart city, ou cidade inteligente, com tráfego automóvel controlado, foi sugerida pelo Gonçalo Azevedo e Rui Azevedo, projeto que controla as horas de ponta do tráfego automóvel.
Para finalizar, o último projeto apresentado e talvez o mais “divertido e nostálgico” foi o RetroGame, uma estrutura de jogos arcade, com várias opções como SuperMario, Space Invaders, entre muitos outros.